Entre em contato conosco aqui
Histórias de casos

Entrevista sobre higiene com o Prof. Clemens Bulitta

Nunca a necessidade de limpeza na área hospitalar foi tão crítica. Nunca foi tão importante a necessidade de manter as superfícies limpas para não propagar micróbios e manter o ambiente livre de infecções. O crescimento de casos do COVID 19 mostrou novamente o quanto pode ser prejudicial as superfícies contaminadas, o quanto elas ajudam na propagação de doenças e infecções, como as infecções resistentes aos antibióticos.

Por causa do coronavírus, o tema da higiene está na mente de todos. Você acha que isso permanecerá na consciência das pessoas a longo prazo?
O coronavírus certamente colocou um foco ainda maior na conscientização sobre higiene e prevenção de infecções. Esse problema já foi destaque várias vezes e não apenas nos círculos profissionais. Nos últimos anos, vários relatos e artigos foram publicados na mídia, particularmente em termos de patógenos multirresistentes e o problema de infecções adquiridas em hospitais. Já faz algum tempo que existe um, reconhecimento sobre este problema. No entanto, faltou ímpeto para agir de forma consistente a este respeito, o que definitivamente já não é o caso.

Isso afetará as propriedades dos dispositivos médicos e seu uso?
Sim, o foco mudará cada vez mais para as aparelhagens médicas e seu uso. A nossa medicina moderna é altamente projetada e muitos desses produtos de alta engenharia não são projetados para ter uma higienização adequada. Isso costuma ser um problema quando se trata de processar esses itens, ou seja, limpar, desinfetar e, se necessário, esterilizá-los. A propósito, isso não se aplica apenas a dispositivos médicos.

Isso significa que o setor está enfrentando grandes desafios e deve trazer desenvolvimentos em termos de higiene para o mercado o mais rápido possível?
Acredito que o design higiênico e os requisitos específicos para processamento até as instruções de processamento validadas não são relevantes apenas para aparelhagens médicas estéreis e quase estéreis, mas também para produtos não essenciais. Isso certamente se tornará um grande problema para os fabricantes de aparelhagens hospitalares. Isso também é demonstrado pelo trabalho na norma internacional ISO 17644, que atualmente está desenvolvendo regulamentos correspondentes nesta área. Uma diretriz de cerca de 5 anos emitida pela Food and Drug Administration (FDA) dos EUA já deu mais ênfase ao tema do processamento.

Entrevista sobre higiene com o Prof. Clemens BulittaKatja Eberhardt em conversa com o Prof. Clemens Bulitta
 

Já existem algumas abordagens iniciais para design higiênico na indústria?
Sim, os primeiros fabricantes já iniciaram atividades nesse sentido e na Associação de Engenheiros Alemães (VDI), estou liderando uma comissão técnica que trata da gestão de áreas em instalações médicas que são relevantes para a higiene. Aqui, estamos trabalhando em dois projetos sobre a classificação dessas áreas e produtos, assim como no seu design higiênico. Então você pode ver: A questão já ganhou força. Presumo que, no futuro, os respectivos aspectos de design, construção e materiais se tornarão cada vez mais importantes para o desenvolvimento de desses produtos.

Qual é exatamente o papel do design para tornar um produto higiênico?
Isso inclui a rugosidade da superfície, geometria, tecnologia de união e conexão, a resistência dos materiais aos agentes de limpeza e desinfecção, estabilidade ao calor e muito mais - dependendo da área da aparelhagem e do processo de tratamento. A indústria de alimentos já está muito adiantada nesse aspecto. A indústria de alimentos já está muito adiantada nesse aspecto.

Isso significa que a indústria de alimentos é um bom exemplo?
Sim, isso é tratado de forma diferente na indústria de alimentos. O design higiênico foi estabelecido há muito tempo. O princípio é claro: Medidas de design têm como objetivo garantir que microrganismos perigosos e sujeira geral ou similar, não entrem nos produtos alimentícios em nenhuma circunstância. Por esta razão, fabricantes de máquinas e plantas, juntamente com produtores de alimentos e tecnólogos de alimentos, desenvolveram uma série de folhas padrão DIN da Associação Alemã da Indústria de Engenharia Mecânica (VDMA). Mas agora também está ocorrendo uma reformulação na indústria da tecnologia hospitalar e esperamos poder dar um primeiro passo e uma contribuição importante aqui com nosso comitê técnico de VDI e o projeto de orientação sobre design higiênico.

Você acha que a limpeza mecânica terá um papel mais significativo no futuro do que hoje?
A limpeza mecânica ou processamento geral, onde a desinfecção e esterilização também são necessárias, é mais fácil de padronizar do que os processos manuais, que são sempre dependentes de pessoas. Dependente de pessoas sempre significa que é demorado e pode levar a erros. O processamento mecânico, portanto, oferece inúmeras vantagens: O método de processamento preferido é o processamento automatizado, especialmente para aparelhagem hospitalar estéreis e de bactérias. Isso porque é a única forma de garantir com segurança que o processo é controlável e seguro e que o resultado é sempre o mesmo. Processos manuais, como aqueles usados com frequência para leitos hospitalares, sofás de tratamento e sistemas semelhantes, são muito mais sujeitos a erros. O resultado em termos de higiene não é tão bom. Acredito que será importante no futuro tornar os processos de trabalho eficientes em relação aos custos.

Em alguns países, o uso de túneis de lavagem é mais comum do que em outros. Você acha que a atual situação de crise irá fazer com que nós repensemos?
A questão crucial será: quais são os benefícios de usar um túnel de lavagem para mim? Se houver vantagens do ponto de vista de eficiência e lucratividade, esse é sempre um argumento muito convincente. Se o potencial estiver no lado qualitativo, muitas pessoas ficarão hesitantes porque é claro que é um investimento inicial e os processos precisam ser convertidos. Posso imaginar que, devido à crescente conscientização sobre a higiene e talvez também devido às exigências feitas em última instância pelo legislador, o aspecto da qualidade se tornará cada vez mais importante e, portanto, não há como evitar esse investimento. Eu acredito que algo assim certamente valerá a pena. No entanto, é difícil fazer esse argumento na Alemanha: Nosso sistema ainda é muito orientado para os custos e você só vê o investimento inicial. Os custos do ciclo de vida geralmente não são levados em consideração. Frequentemente não há espaço suficiente para acomodar os túneis de lavagem nas instalações.

Você tem uma ideia de quais itens, além de camas de hospital que podem ser usados em túneis de lavagem?
Os túneis de lavagem também podem ser usados para cadeiras de tratamento que não sejam fixas, cadeiras de cômoda, sofás e mesas, por exemplo. No entanto, o futuro não é apenas o túnel de lavagem, mas também a automação em geral. Existem projetos em robótica que irão realizar um processo de limpeza automática: A ferramenta de limpeza chega ao produto e não o contrário. Coisas assim virão. Pode haver algo como um exaustor para realizar o processo de limpeza no local - o robô de lavagem móvel. Também há projetos de pesquisa em que sistemas de transporte sem condutor levam as camas hospitalares para os túneis de lavagem. Este é um trabalho em andamento.

Em que extensão a automação já desempenha um papel na preparação, além dos túneis de lavagem?
Esta é uma pergunta empolgante. Atualmente, a limpeza de superfícies por meio de limpeza úmida ou lenços umedecidos é o método preferido para o higienizar superfícies e objetos. No entanto, existem vários projetos de pesquisa em andamento sobre o papel de abordagens alternativas, como luz UVC ou plasma frio. Por outro lado, essas abordagens têm impacto no design do produto, como, por exemplo, o envelhecimento de plásticos devido à luz UVC. Isso significa que é um processo complexo com muitos fatores de influência.

Entrevista sobre higiene com o Prof. Clemens BulittaO Prof. Clemens Bulitta explica como as bactérias podem ser detectadas em superfícies utilizando instrumentos de medição.
 

Portanto, é muito importante definir o objetivo ou o resultado do procedimento de processamento e encontrar um modo que seja validado ou baseado nele. Além disso, os fabricantes devem fazer isso sozinhos e disponibilizá-los aos usuários.

Isso é regulamentado no padrão ISO 17644 do qual você falou anteriormente?
Sim, estas são basicamente as instruções para os fabricantes no que diz respeito ao processo de produção.

Quais são os requisitos para um processo de produção?
Em princípio, qualquer medida de higiene e prevenção de infecções deve ser intensa, eficiente e eficaz, ou seja, não deve estar sujeita a erros, não deve exigir esforço adicional e deve ter um resultado excelente. Se um túnel de lavagem ou outros métodos fizerem isso, certamente prevalecerão.

Qual é a sua opinião pessoal, você acha que no futuro teremos que nos preparar para pandemias, como agora com o coronavírus? Caso a resposta seja sim, podemos nos proteger disso, como?
Essas pandemias sempre existiram e sempre existirão. A frequência pode aumentar. Só podemos nos proteger se olharmos mais de perto o sistema como um todo. Existe a abordagem de Uma Saúde, na qual as inter-relações sistêmicas de humanos, animais, meio ambiente e saúde são consideradas e levadas em consideração entre as disciplinas. Se você entender quais são as correlações, você pode, por exemplo, evitar que um patógeno pule de uma espécie para outra e se torne perigoso. Se tivermos sucesso, teremos alcançado muito.

Precisamos encontrar maneiras de conviver com as pandemias, como fizemos agora com o coronavírus. Estou impressionado com a rapidez e o quanto já aprendemos sobre o vírus SARS-CoV2 e, portanto, somos capazes de lidar com a situação de maneira direcionada. O lockdown foi certamente a coisa certa a se fazer. Com o conhecimento adquirido, agora é possível levar uma vida quase normal em muitas áreas, desde que regras simples de higiene como as regras da AHA (sigla em alemão para distância, higiene das mãos, máscaras cotidianas) e ventilação sejam seguidas para evitar a disseminação rápida de infecções. Essa pode ser a estratégia. Nós apenas temos que encontrar maneiras inteligentes sem causar danos e limitar demais nossas vidas.

 

 

Entrevista sobre higiene com o Prof. Clemens Bulitta

Prof. Clemens Bulitta

Seu lema: “Dimidium facti, qui coepit, habet: sapere aude, incipe” “
Aquele que começou está meio feito; ouse saber; começar!" (Horace)

 

O Prof. Bulitta tem ampla experiência e conhecimento internacional em medicina clínica, indústria de saúde e indústria de tecnologia médica. Depois de concluir seus estudos de medicina humana em Heidelberg, nos EUA e na Suíça, ele se formou na Faculdade de Medicina da Universidade de Heidelberg. Em seguida, ele prosseguiu com o treinamento em cirurgia no Accident Surgical University Hospital em Essen e no General Surgical University Hospital em Mainz.

De 1999 a 2001, o Prof. Bulitta trabalhou como Pesquisador no Massachusetts General Hospital da Harvard University em Boston, EUA, como parte de uma bolsa de estudos da German Research Association. No início de 2001, ele ingressou no setor de saúde da Siemens AG. Ele inicialmente trabalhou lá como consultor de saúde por vários anos. Posteriormente, ele ocupou vários cargos de gestão nas áreas de desenvolvimento de negócios, marketing clínico e gestão de produtos para o negócio de cirurgia. Desde 2010, ele se tornou responsável pelo projeto global e gerenciamento de parceiros para sistemas de angiografia na sala de cirurgia, as chamadas salas de cirurgia híbrida, da Siemens.

Desde 2012, ele é professor de “Sistemas de Diagnóstico e Gerenciamento de Tecnologia Médica“ na Universidade Técnica da Baviera Oriental de Amberg-Weiden. Desde o semestre de verão de 2014, o Prof. Bulitta é diretor e consultor acadêmico do curso de bacharelado em tecnologia médica.

Desde janeiro de 2015, ele administra o recém-fundado Instituto de Tecnologia Médica da Universidade Técnica da Baviera Oriental de Amberg-Weiden.

Saiba mais: www.oth-aw.de/bulitta/ueber/

 

 

Revista Online

Baixe a entrevista com o Prof. Clemens Bulitta abaixo.

Arquivos

Visão geral de produtos MEDLINE® & CARELINE®

Mergulhe na grande variedade de produtos inovadores MEDLINE® & CARELINE®, que podem te ajudar a melhorar seu hospital e equipamentos de saúde.

Foco em camas hospitalares

Ao procurar maneiras de deixar as pessoas que precisam de cuidados mais independentes, a cama é um ótimo lugar para começar. A LINAK oferece o ajuste perfeito dentro de várias construções para camas hospitalares.

LINAK IPX6 Lavável DURA™ flyer

A lavabilidade faz parte dos cuidados de saúde modernos. LINAK IPX6 Lavável DURA™ é o equipamento ajustável para Cuidados e Hospitais - o próximo nível de limpeza.

Folder de Segurança

Aparelhagens diferentes precisam de recursos de segurança diferentes. Independentemente do aplicativo de assistência médica que você está projetando, a LINAK oferece uma ampla variedade de recursos de segurança padrão e opcionais.

Tem uma pergunta?

- Nossa equipe está pronta para ajudá-lo com informações técnicas, como iniciar um projeto e muito mais.